Arte Finalista - Artes Finalistas - Arte Final


Dicas para se tornar um Arte Finalista


OBJETIVO DESTE GUIA DE DICAS

O objetivo deste guia de dicas é passar um pouco de minha experiência para esclarecer as dúvidas mais comuns relacionadas à preparação de trabalhos por computador, para serem impressos no processo de impressão em offset.
Uma coisa é ter um arquivo no computador e uma prova jato de tinta colorida. Outra coisa é fazer este arquivo ser impresso com qualidade e fidelidade de cores em sistema de impressão em offset.
A intenção maior ao desenvolver este guia de dicas, foi diminuir a distância entre um arquivo no computador e uma impressão perfeita em máquinas offset. A cada dia precisamos ser mais ágeis para vencer os desafios da globalização. Você pode ajudar a agilizar todo o processo de impressão, tomando alguns cuidados ao preparar um arquivo. Espero que você aproveite as informações contidas aqui.

COMO MONTAR UM ARQUIVO QUE FUNCIONE
A chave para o sucesso de um arquivo para impressão , não está apenas na qualidade do equipamento, está também no conhecimento que o operador tem nos programas, em produção gráfica e em um perfeito planejamento das etapas e necessidades do trabalho final.
Existem vários programas disponíveis no mercado, e cada programa tem a sua função específica em cada fase do trabalho. Na área gráfica os programas são divididos basicamente em:

A - Editores de texto
Para a digitação e correção do texto. Como exemplo, o Word da Microsoft.
B - Editores de imagens
Para os retoques em fotos e desenhos escaneados. Como exemplo, o Photoshop da Adobe.
C - Editores de lay-out de páginas
Para as montagens básicas da diagramação, desenho de logotipos e fundos especiais. Como exemplo, o Corel Draw da Corel, Adobe Ilustrator da Adobe e FreeHand da Macromedia.
D - Editores de páginas
Para a montagem final do arquivo. Como exemplo, o Page Maker da Adobe, Quark Xpress da Quark.

O esquema a seguir mostra as fases para a confecção do arquivo. Apesar da facilidade do computador, o ideal é rabiscar a idéia primeiro em uma folha de papel com o velho e bom lápis e sua imaginação, pois o computador é apenas uma ferramenta para pôr em prática a sua idéia. Ele não tem o poder de criar sozinho, quem cria é a sua cabeça, usando a sua imaginação.
Depois de planejado a cara do trabalho, nós vamos montar uma espécie de quebra-cabeças, montando as peças certas, utilizando os softwares corretos.

A - Digitar o texto
Você pode digitar o texto direto no Corel Draw ou Page Maker, quando o volume de texto não for muito grande. No caso de um volume grande de texto, o melhor é utilizar um editor de texto, como o Microsoft Word, pois ele possui vantagens em relação aos outros programas por se tratar de um editor de texto. Basta digitar o texto, sem nenhuma preocupação com tipo ou tamanho de letras, quebras de parágrafos ou qualquer tipo de diagramação, é o que chamamos de texto corrido. Depois passe o dicionário automaticamente e imprima para fazer uma revisão final. Faça todas as correções possíveis no texto.
B - Scanear as imagens o os logotipos
As imagens devem ser scaneadas sempre no tamanho correto em que serão usadas nos trabalhos. No caso de fotos, a resolução final deve ser 300dpi. Este valor é definido tecnicamente da seguinte forma: a saída do filme é feita em uma imageseter com 3000dpi e 150lpi, então a resolução para as fotos é o dobro da linhatura usada na imageseter. Se a foto for scaneada sem ampliação ou redução, usa-se o fator de 1:1, ou seja 300dpi seguindo se a formula: linhatura de saída x 2 = resolução scaner.
Ex: 150lpi x 2 = 300dpi
No caso de ampliação ou redução, usa-se a seguinte fórmula: (largura final imagem : largura original imagem) x linhatura de saída x 2 = resolução scaner.
Depois abre-se o arquivo no Photoshop, muda-se a resolução para 300dpi e converte do modo RGB para CMYK.
Os logotipos podem ser scaneados em qualquer resolução, para depois serem redesenhados no Corel Draw. No caso de desenhos em tons contínuos (line art), o ideal é utilizar a resolução da saída de filme, ou seja 3000dpi para evitar o serrilhamento das bordas. Um truque é scanear os logotipos com 600dpi e o dobro do tamanho final, depois reduz-se o tamanho do Corel Draw ou Page Maker simplesmente arrastando pela alça. Lembre-se de converter as imagens coloridas de RGB para CMYK, utilizando o Photoshop.
Como estas imagens geram arquivos grandes, para fazer o layout você pode salvar o arquivo de alta resolução e depois abaixar a resolução para 72dpi, apenas para layout.
C - Desenhar logotipos e elementos de diagramação
Depois de scaneado, o logotipo deve ser importado no Corel Draw e desenhado, usando as ferramentas de diagramação do Corel Draw. Depois de redesenhados, serão exportados em EPS. Na hora da exportação as imagens bitmaped não podem estar junto com o EPS.
Os desenhos que farão parte do layout também devem ser feitos no Corel Draw. Os degradês, splash e toda a parte de desenho que o Page Maker não consegue fazer. Atenção: muito cuidado com as texturas do Corel Draw, pois elas são geradas apenas em RGB, causando muita alteração de cores na hora da impressão em CMYK. Para prevenir problemas de cores com as texturas, é aconselhável exportá-las em TIF CMYK, com no mínimo 230dpi, e o ideal com 300dpi.
D - Adquirir imagens de CD
As imagens adquiridas de CD também devem ter as mesmas características de resoluções das fotos scaneadas. Elas devem ter o tamanho suficiente em centímetros, ou seja, devem estar com 300dpi no tamanho que será usada. Ou bem maior com cerca de 1 metro e com 72dpi, para que possa ser aumentada a sua resolução no Photoshop. Não dará certo aumentar o tamanho ou a resolução. Se a foto tiver 4cm e 72dpi, na prática pode se aumentar o tamanho e a resolução, porém sta foto tecnicamente não servirá para ser impressa com qualidade.
As imagens em CD são adquiridas no modo RGB, e deverão ser convertidas para o modo CMYK no Photoshop.
Ao ser aberta no Photoshop, uma imagem em PCD tem cinco opções de resolução (em pixels) e tamanho em Kbytes. Para um simples layout, pode se optar por uma imagem pequena, mas para a impressão final, deve ser usado a resolução correta de 300dpi.
Paleta Kodak PhotoCD
Tamanho da imagem em PCD:Baixa resolução: 128 x 192 pixel - 72K Baixa resolução: 256 x 384 pixel - 288K Baixa resolução: 512 x 768 pixel - 1,13MMédia resolução: 1024 x 1536 pixel - 4,5M Alta resolução: 3072 x 2048 pixel - 18,8M
Toda imagem em PCD depois de aberta, sempre está com 72 dpi de resolução. O que muda é o seu tamanho em pixel, ou em cm. Por exemplo, para se utilizar uma imagem em uma mala-direta de 31 x 21 cm, o tamanho da imagem deve ser aberta com 3072 x 2048 pixel, que resulta em uma imagem de 108 x 72 cm e 18 Mg.
No Photoshop, vá até o menu Image, Image Size..., desative a opção Resample Image, e na opção Resolution digite 300 dpi, o que resulta em uma imagem de 26 x 17,3 cm. Note que o tamanho da imagem em cm está um pouco menor do que o tamanho necessário de 31 x 21 cm.
Vá novamente ao menu Image, Image Size... e desta vez ative as opções Constrain Proportions e Resample Image, digite 21 cm na opção acima Print Size, Height e dê Ok.
Paleta image size do Photoshop
E - Fazer correções de cores e tratamentos de imagens
As correções de cores e tratamento de imagens devem ser feitas por pessoas que conheçam bem tecnicamente como funcionam as cores, e quando possível em um monitor que possua dispositivos de calibração de cores bem fiéis, de tal modo que a cor que você veja na tela seja bem próxima da
cor a ser impressa no papel.
Já os retoques na foto, como eliminar postes de rua, limpar sujeiras das fotos podem ser feitos por qualquer pessoa no Photoshop. Os recortes de fotos para eliminar fundos também devem ser feitos no Photoshop. Depois é só fazer cliping path no caminho de recorte para que a foto vaze em qualquer fundo no Page Maker. Para conseguir o mesmo efeito no Corel Draw, além do cliping path deve se salvar o arquivo como EPS.
F - Fazer a montagem final do trabalho
Depois de todo material pronto (texto, logotipos, elementos de diagramação e fotos), o trabalho pode ser montado para apresentação ao cliente. É hora de montar o trabalho, importando o texto, fotos e logotipos. A nível de lay out, pode ser tudo montado no Corel Draw, mas o arquivo final, principalmente quando tiver fotos coloridas deve ser feito no Page Maker.
Preste atenção ao tamanho da página. No caso de seu trabalho ser um cartaz de 64x42cm, acerte o tamanho do arquivo para 64x42cm. Se for um cartão de visitas de 9,5x5,5cm acerte o tamanho da página para 9,5x5,5. Na hora de imprimir o cartaz, que tem o tamanho maior que o papel de sua impressora, escolha a opção no gerenciador de impressão para fit to page(caber na página da impressora).
Os desenhos que foram feitos no Corel Draw, devem ser exportados como EPS, e lembre-se que as imagens em bitmap (fotos ou logotipos scaneados), não podem ser exportados em EPS junto com os desenhos vetoriais feitos no Corel Draw, pois não imprimem separações de cores.
Todas as texturas do Corel Draw são geradas em modo RGB, isto gera muita diferença na cor impressa. As texturas também devem ser exportadas separadas do EPS, no formato TIF e em CMYK.
ERROS MAIS COMUNS EM UM ARQUIVO
Para se gerar um folotito de um arquivo, existem certos recursos nos programas que devem ser evitados, pois não funcionam corretamente em uma impressora postscript de alta resolução. Isto significa que a impressão pode sair bonita em uma impressora jato de tinta ou laser, mas não sairá corretamente em uma imageseter. Muitos dos itens citados abaixo são regras gerais na área gráfica, independente do tipo de trabalho ou programa a ser usado. Dos quais destacamos como erro grave deixar fotos em RGB; usar imagens com menos que 300dpi; ampliar o tamanho da imagem depois de scanear; usar o clip board; usar o Microsoft Word para diagramação de trabalhos, principalmente coloridos; utilizar as textura do Corel Draw pensando que a cor a ser impressa sairá certa; utilizar o Corel Draw para diagramação de revistas, jornais ou trabalhos com volume grande de texto.

Erros a serem evitados

1. Imagens scaneadas com baixa resolução, são impressas com as bordas serrilhadas e com efeito de tela de computador.
2. Deixar imagens em RGB no arquivo, uma vez que RGB não imprime separações de cores.
3. Nunca amplie o tamanho da imagem no Corel Draw ou Page Maker. Se o tamanho estiver errado, refaça o scaner.
4. Se a impressão for em CMYK, evite usar cores spot ou pantone no arquivo. A conversão de cores pode alterar bastante a cor desejada.
5. Nunca use o clip board para copiar um arquivo de um programa para o outro, por exemplo copiar um desenho no Corel Draw e colar no Page Maker, ou vice-versa. Quando o arquivo sai do seu computador, isto gera problemas de link na imagem. O correto é sempre exportar e importar o arquivo.
6. Nunca diagramar um arquivo no Microsoft Word. Ele é um programa para digitação de textos. Se o arquivo feito no word tiver apenas texto e em cor preta, ele pode ser aproveitado. Se possuir cores e/ou gráficos e imagens, na maioria dos casos não servirá para impressão de fotolitos, pois o Microsoft Word não imprime separação de cores, ele apenas imprime imagens colorida em jato de tinta. O Microsoft Word utiliza configurações do Win95 e da impressora padrão de seu computador. Normalmente nas versões 6.0 e 7.0, quando o arquivo é aberto em outro computador o texto sai todo do lugar, mudando a posição das páginas.
7. Sempre trabalhe com imagens em TIF ou EPS. Evite outros formatos como .WMF, .BMP, .JPG, .GIF.
8. Evite pegar imagens pela internet ou de CD's. Normalmente elas estão em baixa resolução e não servem para ser impressas em alta qualidade.
9. Nunca transforme no Corel Draw imagens do modo RGB ou qualquer outro modo para CMYK. Isto altera completamente a cor das imagens.
10. Abra a imagem no Photoshop ou Corel Photopaint para fazer a conversão, salve o arquivo e importe novamente a imagem.
11. Nunca importe aquivos do Photoshop com a extensão .PSD com layer, para fazer a imagem vazar no fundo. Normalmente isto causa problemas na saída do filme.
12. Evite o uso de lentes no Corel Draw. Elas complicam a impressão do arquivo, além de gerar mudanças indesejáveis na cor final do impresso.
13. Evite o uso de muita textura no Corel Draw. Quando utilizá-las tenha ciência de que a cor final em offset sairá completamente diferente da tela e da impressão jato de tinta, pois as texturas são formadas apenas no modo RGB, fazendo conversão para CMYK na saída dos filmes.
14. Evite o uso de power clip no Corel Draw, ele também gera problemas na impressão e às vezes também trava o arquivo, impossibilitando sua abertura.
15. Evite fazer diagramações no Corel Draw com volume grande de texto.
16. Evite usar linhas muito finas em desenhos. Tome cuidado ao fazer um desenho em tamanho grande para ser reduzido, pois se a espessura da linha estiver configurada para reduzir proporcional ao desenho, uma linha de 1mm pode se transformar em 0,002mm e não ser impressa no filme, embora seja impressa na impressora laser ou jato de tinta, devido ao ganho de pontos.
17. Evite o uso de fontes True Type de origem duvidosa. Certos tipos de letras causam problemas em impressoras post script, principalmente aquelas com desenhos muito diferentes.
18. Evite impressoras com padrão PCL de impressão. Para prevenir problemas, quando adquirir uma impressora jato de tinta ou laser, exija que ela tenha padrão post script nível 2.
19. Sempre que o trabalho possuir dobras de papel, faça uma impressão e monte um modelo para testar se as dobras estão corretas.
20. Quando fizer um livro ou revista, tenha o cuidado de deixar a margem próxima ao grampo ou cola, ligeiramente maior que as outras.
21. Quando o trabalho tiver faca especial, mande sempre um modelo montado e cortado, e lembre-se de mandar no arquivo, o desenho para confecção da faca.
22. Quando utilizar algum programa de edição em 3D, você tem que renderizar a imagem com a maior quantidade de pixel possível e alta qualidade(o ideal é algo em torno de 3072 x 2048 pixel, dependendo da proporção da imagem).
23. Não esqueça de abrir a imagem no Photoshop para convertê-la de RGB para CMYK e alterar o tamanho dela, conforme explicado anteriomente em Adquirindo Imagens de CD.
24. Evite montar o trabalho todo no Photoshop utilizando textos. O Photoshop não é editor de texto, e sim de imagens. Caso você tenha um bom computador e a versão 5.0 do programa este recurso já está aceitável.

PREPARANDO O ARQUIVO PARA IMPRESSÃO EM FOTOLITO


Antes de levar o arquivo para ser impresso, é necessário checar se ele está ok. Verifique se você não cometeu algum erro citado anteriormente.
Normalmente quando a impressão é em cores especiais, por exemplo em vermelho, ou Pantone 380, ou em duas cores especiais por exemplo o texto em azul e o desenho em vermelho, você monta o arquivo nestas cores para fazer uma prova colorida para o seu cliente aprovar. Este arquivo colorido não serve para tirar fotolito, pois se a impressão foi forçada em duas cores, azul e vermelho, e você fizer uma prova de separação de cor de seu arquivo em sua impressora, notará a impressão de no mínimo três separações, Cyan, Magenta e Amarelo. Para a gráfica, não interessa a cor que está na tela, e sim que ela precisa de dois filmes para a impressão offset, um para o azul e outro para o vermelho. Como todo serviço tem pressa na entrega, você pode ajudar a ganhar tempo, convertendo seu arquivo para: tudo o que for azul, converta para cyan, e tudo que for vermelho, converta para magenta. Se o trabalho for impresso em verde e dourado: converta o que for verde para preto ou cyan, e o que for dourado converta para amarelo. Estas cores que aparecem na tela, não importam, o que importa é que quando você fizer o teste em sua impressora, só saia a quantidade de cores que você quer, e no lugar em que devem ser impressas.
Quando o trabalho tiver dobras ou facas para cortes especiais, faça uma prova, mesmo que em tamanho reduzido e preto-e-branco, para montar uma espécie de boneco. Cheque se as dobras ou o corte estão ok.

Cuidados com os disquetes e compactação dos arquivos
Para compactar os arquivos, utilize sempre os programas Winzip, ARJ ou PKzip. Nunca utilize o MSBackup do Windows, ele não funciona corretamente para Restaurar os arquivos de um computador para outro.
A gráfica não se responsabiliza por disquetes de 1.44KB. Quando ela recebe este material, ela considera que você tenha uma cópia sua e o original em seu computador.

O que você deve levar além do arquivo, para imprimir fora
Se for levar em disquete de 1.44KB, mande duas cópias, uma de segurança. É comum surgir defeito de leitura nestes disquetes.
Se o arquivo for compactado, mande junto o programa que foi utilizado para compactação.
Sempre coloque etiquetas identificando claramente o disquete, com seu nome e o conteúdo do disquete. Coloque também o telefone e nome da pessoa que possa responder às dúvidas com relação ao arquivo.
Mande sempre, todas as fontes utilizadas em seu arquivo, por mais comum que sejam. A gráfica possui uma quantidade grande de fontes em CD, mas não pode instalar todas de uma só vez no Windows. Alem disso, é responsabilidade de quem fez o arquivo, e estritamente inteligente, enviar as próprias fontes, pois é comum fontes de mesmo nome, porém de fabricantes diferentes, o que pode tirar o texto do lugar ou gerar problemas de acentuação e até inviabilizando a impressão do arquivo.
Mande sempre uma prova exata do arquivo, pode ser em preto-e-branco, para uma checagem prévia, ao abrir o arquivo. No caso de livros e revistas, mande um boneco da montagem para sequência de páginas. No caso de material com dobras, ou qualquer montagem diferente, mande um modelo montado, que pode ser preto-e-branco e em tamanho reduzido.
Caso tenha a necessidade de checagem da qualidade de alguma foto, leve o original da foto e o arquivo scaneado, gravado na extensão TIF.
Se o trabalho foi finalizado no Page Maker, mande além do arquivo do Page Maker, todos os arquivos que foram importados para o Page Maker, para que não haja problemas de Link de arquivos. Isto significa que ao importar um logotipo ou foto para o Page Maker, esta imagem não faz parte do arquivo físico do Page Maker, mas apenas uma imagem para apresentação na tela. Quando for gerada a impressão o Page Maker vai procurar o arquivo original para gerar a impressão. Quando esta impressão é feita em seu computador tudo bem, mas se for em outro e ele não encontrar o arquivo, ele vai imprimir a foto ou logotipo todo serrilhado, em baixa resolução.

O que é arquivo aberto?
Arquivo aberto é todo arquivo nativo gravado com a extensão do programa onde foi desenvolvido. Isto significa que um arquivo feito no Corel Draw é enviado para a gráfica com a extensão .CDR, e pode ser ABERTO no Corel Draw; um arquivo feito no Page Maker é enviado para a gráfica com a extensão .P65, e pode ser ABERTO na gráfica pelo Page Maker. Todo arquivo que pode ser aberto e editável no programa onde foi gerado, é um arquivo ABERTO. Este arquivo, para ser aberto precisa das fontes utilizadas, dos links e do programa onde foi gerado.

O que é arquivo fechado?
Arquivo FECHADO é todo arquivo com a extensão .PRN ou .PS. Estes arquivos, são arquivos de impressão, gerados pelos programas onde foi desenvolvido o trabalho, pode ser o Page Maker, Corel Draw, etc. Estes arquivos são arquivos de impressão, e não podem ser editados. Quando se fecha um arquivo, ele contém todos os dados necessários para uma impressão, como fontes, imagens, tamanho de página, tipo de separação de cor, tipo de retículas, etc.
Fechar um arquivo é exatamente fazer uma impressão do arquivo, utilizando um driver de impressão, utilizando seu próprio computador. Ao contrário de ser impresso em sua impressora, ele será salvo em arquivo, com a extensão .PS ou .PRN e levado para a gráfica para a impressão dos fotolitos.

TRABALHANDO CORRETAMENTE COM CORES

Já deve ter acontecido com você o seguinte problema: A cor que você vê na tela do computador não é a mesma cor que foi impressa em sua impressora jato de tinta. A cor da impressora jato de tinta não é a mesma cor que foi impressa na máquina offset da gráfica. O que aconteceu de errado?
Para responder a esta pergunta, é preciso enteder o que é Espaço de Cores. Veja a representação gráfica abaixo, ela mostra o espaço de cores que o olho humano enxerga, do modo RGB e do modo CMYK.
Espaço de cores
O olho humano enxerga uma gama de cores muito grande. Já os monitores de computadores que utiliza o espaço de cor no modo RGB, não consegue representar todas as cores que o olho humano enxerga. O sistema de impressão offset representa o espaço de cor no modo CMYK. Isto significa que certas cores que nosso olho enxerga, o monitor do computador não consegue representar, e certas cores que o monitor representa, a impressão offset não consegue representar.
Outra questão técnica é que o padrão de cor RGB é aditivo e o padrão CMYK é subtrativo, ou seja o monitor ilumina a cor e o papel recebe a iluminação para representar as cores. RGB é a abreviação de Red, Green e Blue(vermelho, verde e azul). CMYK é a abreviação de cyan, magenta, amarelo e preto.
A relação entre os dois modelos de cores é que um modelo é o oposto do outro, ou seja, no modelo RGB 0 de vermelho, 0 de verde e 0 de azul = preto. 256 de vermelho, 256 de verde e 256 de azul = branco (o modo RGB é representado por 256 níveis de cores). Já no modelo CMY (aqui o K do preto não entra), 0% de cyan, 0% de magenta e 0% de amarelo = branco. 100%de cyan, 100% de magenta e 100% de amarelo = preto. Isto na teoria, pois na prática, devido a questões de pigmento das tintas, a mistura de 100% das três cores CMY não dá preto, e sim um marrom muito escuro. É aí que entra o K (preto), para suprir a deficiência dos pigmentos de tinta, durante o processo de impressão offset.
vermelho é oposto do cyan verde é oposto do magenta Azul é oposto do amarelo
No caso de impressão em papel, existem mais alguns fatores que podem causar alterações das cores. As tintas possuem pigmentação diferente que alteram o padrão de cores. O tipo de tinta de uma impressora jato de tinta é diferente do tipo de tinta de uma impressora offset. O suporte, ou tipo de papel que recebe a tinta também influência a cor final. No caso de jato de tinta você pode fazer um teste simples, imprima em papel especial para jato de tinta, depois repita a mesma impressão em papel comum, você notará a diferença grande entre uma impressão e outra, feito na mesma impressora, mas em papel diferente.
No caso de impressão offset, a mesma cor impressa em papel couchê, não terá a mesma tonalidade impressa em papel offset ou jornal.
As escalas de cores impressas são produzidas em dois tipos de papel, couchê e offset (coated e uncoated) justamente para mostrar a diferença de tonalidade entre um papel e outro.
Como a finalidade de seu arquivo é uma impressão offset, você tem que usar uma escala de cores impressa em papel no padrão CMYK, para se orientar. Escolha as cores olhando na escala em papel e coloque as porcentagens respectivas em CMYK no seu arquivo, desta forma você terá a certeza de que o trabalho final estará no padrão de cor correta, mesmo que seu monitor ou sua prova jato de tinta lhe mostre uma cor diferente da desejada.
Em se tratando de cores especiais, você pode utilizar cores spot ou Pantone na cor desejada, para mostrar uma prova colorida ao seu cliente. Depois que o cliente aprovar o trabalho, basta eleger uma cor CMYK como cor especial para saída do filme, por exemplo Cyan = Pantone Green 238 e Preto = Pantone Oranje 345. Então, o arquivo que você deverá trazer para impressão dos fotolitos, deverá conter apenas duas cores, o cyan e o preto. As cores corretas serão colocadas durante a impressão na máquina offset.

CONSEGUINDO AJUDA

Toda a informação neste manual, foi colocada de forma substancial, com a intenção de informá-lo de melhor forma possível, entre as várias formas de se preparar um trabalho. É importante que você pesquise em livros e revistas especializadas, pois a cada dia a informática se transforma.
É importante também estudar os manuais que acompanham os programas, pois eles sempre trazem informações adicionais ao seu conhecimento.
Com relação aos programas, eles sempre possuem "bugs", defeitos que são corrigidos posteriormente ao seu lançamento. A correção destes erros podem ser encontrados e corrigidos facilmente na internet. Portanto é sempre bom visitar os sites dos fabricante de softwares, além das correções dos bugs sempre tem algum utilitário ou dica importante para dowload.
Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o que foi colocado neste manual, pode mandá-la por e-mail: ppavanin@hotmail.com. Obrigado...
" Paulo Roberto Ribeiro Pavanin "


 
Se você estiver fora da página principal clique aqui www.vetorizando.com.br